Com prática, paciência e persistência, você pode sustentar-se emocionalmente e ter a vida que merece e escolhe a cada dia.

Programas entusiasmados que provocam motivação pontual não se efetivam na vida das pessoas. É preciso disciplina mais do que entusiasmo, é preciso determinação mais do que motivação, é preciso vontade mais do que necessidade.

Buscar Autoconhecimento é escolha, uma opção de vida para aqueles que querem a felicidade e o bem-estar como valores constantes em suas vidas.

Normalmente, nós esperamos a doença para pensarmos na saúde, esperamos a velhice para pensarmos na juventude e esperamos a morte para pensarmos na vida. O Autoconhecimento propõe mudar esse caminho.

Saúde é conquista, juventude é energia, e vida é oportunidade. Como você está conquistando, validando e sustentando sua juventude – ou, ainda, sua energia – e aproveitando a oportunidade que a vida lhe oferece para ser feliz agora?

Essa pergunta, nos meus últimos 20 anos de trabalho com transformação pessoal e aumento da inteligência emocional, social e espiritual, tem sido a mais difícil de ser respondida. A falta de contato com o próprio coração, a necessidade de atender às expectativas externas, a vontade de pertencer a um grupo e de estar na “moda” são fatores que, na maior parte do tempo, têm impedido as pessoas de identificarem suas próprias necessidades e vontades.

Consciência e presença

Dizer que é preciso ouvir o coração e fazer aquilo que ele lhe pede, para alguns, é egoísmo ou arrogância, mas, para nós, é consciência e presença. Como você pode cuidar de alguém se não se sente cuidado? Quando cuidamos do outro na carência, em nosso inconsciente, estamos pedindo para que o outro faça isso por nós também. Por outro lado, quando o cuidado vem de um coração tranquilo e preenchido, transforma-se em uma ação espontânea e leve que não cobra e nem espera a devolução do amor.

Vivemos num momento em que as pessoas dizem que não vale a pena amar, pois o outro não lhe devolve “na mesma moeda”. Por que deveria? Você ama e cuida por que quer ou por que precisa que o outro ame e cuide de você?

Aí está a diferença entre carência e amor-próprio. Autoamor é dar sem esperar nada em troca, ou seja, uma escolha consciente. Já a carência é necessidade de que alguém faça por você aquilo que só você pode fazer com precisão, ou seja, amar-se.

Autoconhecimento gera autoestima. Autoestima, por sua vez, aumenta sua energia positiva e consequentemente produz saúde. Já a saúde traz longevidade e mais oportunidade de viver o presente com alegria e satisfação. Toda essa conquista vem, sem dúvida nenhuma, da capacidade de amar a si mesmo incondicionalmente e, para ser capaz disso, é preciso descobrir que o amor vem de dentro e que todo ser humano já nasce com essa capacidade.

Se você já descobriu, com a experiência, que amar é um exercício que exige paciência, persistência e prática, pode deduzir que, com esses três “Ps”, existe a possibilidade de sustentar-se emocionalmente e ter a vida que merece e escolhe a cada dia.

Fonte: CATHO

Temas: , , ,

CEO do Centro Hoffman, é expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e de "Perdão, A Revolução que Falta", além de coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *