É tempo de reconhecer e mudar

Insegurança… Sentimento de inferioridade, de insuficiência para realizar determinada tarefa, segundo os dicionários. Comum à vida – afinal, em algum momento, todos nós a experienciamos –, infelizmente tem se tornado um problema que atinge cada vez mais e mais pessoas.
Por isso, gostaria de trazer uma nova reflexão para você que, de alguma forma, percebe que essa emoção tem lhe dificultado. É importante o seu olhar de atenção quando a insegurança passa a tomar conta da sua vida, preenchendo suas horas, seus dias, suas relações… Porque é exatamente aí que, sem perceber, você passa a agir muito influenciado pelo medo.

Sim, você já reparou como a insegurança é consequência do medo? Medo de fracassar, de ser rejeitado, não ser reconhecido, valorizado, amado… Medo por não ter o controle sobre o que vai acontecer amanhã – e este é um dos piores medos, pois, de fato, nós nunca teremos a certeza absoluta do que acontecerá amanhã.

E preste atenção ainda ao fato de que a insegurança não está ligada apenas ao comportamento de agir como uma pessoa resguardada, que tem o pé no freio ou que vive adiando mudanças. Note que este sentimento também está presente em quem busca controlar a tudo e a todos, pois esse comportamento nasce do medo de que as coisas não saiam perfeitas (ou não saiam exatamente como a pessoa faria/queria), o que também tem a ver com “insegurança”.

Em determinadas “doses”, a insegurança pode até ser protetora, funcionando como um mecanismo de defesa que faz com que o seu alarme interno soe e o obrigue a atuar. Mas, a partir do momento em que se torna avassaladora, a insegurança não tem qualquer vantagem, você passa a se sentir incapaz e a viver em função de pensamentos negativos que pouco ou nada têm de razoável.

Por isso, eu desejo que reflita sobre este sentimento em sua vida e a como tem agido em relação a ele, pois, de verdade, você pode viver melhor consigo e com o seu entorno.

Bem, e como mudar esse cenário da insegurança? Antes eu preciso lhe fazer uma pergunta: onde é que este cenário se inicia?

Mesmo que a sua insegurança seja despertada por um acontecimento externo, é sempre dentro de você que o sentimento se forma. Então, é dentro de você que ele se inicia e, como disse antes, está tudo bem, é natural e normal que você o vivencie, a questão está no como e em quanta negatividade pode gerar por conta dele.

Obter melhor discernimento sobre suas emoções, levantando a reflexão e o questionamento sobre o que está sentindo, já é um passo importantíssimo de consciência, pois é a partir daí que você pode fazer as mudanças.

Assim, se você acredita que a insegurança está em um nível negativo em sua vida, minha sugestão é que comece a praticar exercícios de mudança emocional. Por meio dessas ferramentas, poderá sair de uma posição muito defensiva ou de vítima, para que consiga se entregar às relações amorosas com mais intensidade, para que expresse o que sente com mais maturidade, para que invista em seus sonhos com mais tranquilidade e capacidade de ampliar sua visão estratégica, para que não perca a oportunidade de ser mais feliz.

Se você me acompanha sabe que um dos exercícios que ensino muito é sobre a Respiração. Algo simples e extremamente eficaz, comprovado cientificamente – e que a metodologia de autoconhecimento do Processo Hoffman pratica há 50 anos.

Em um dos vídeos que gravei, falo mais sobre isso, é “Como você vive é como você respira”. E deixo aqui um simples (e poderoso) exercício para você praticar:

1. Inspire o ar pelo nariz e solte pela boca;
2. Expire por mais tempo que inspira, isto é, solte mais ar do que pegue;
3. Para treinar é bom começar contanto: 03 segundos para puxar o ar… segure três segundos o ar dentro de si… e solte o ar em 4 ou 5 segundos. Repita esse exercício por 10 vezes;
4. A oxigenação do cérebro aumenta, você se sente mais relaxado e calmo, e a disposição física e flexibilidade mental também aumentam.

Pare, pense e respire” é um artigo que também escrevi com este objetivo.

Eu desejo que você invista em seu Autoconhecimento e ele começa assim, com a reflexão sobre você, sobre o que você sente e como sente; o que pensa e como pensa; e sobre suas atitudes e como as têm manifestado.

É sempre tempo, independentemente da nossa fase de vida, de sermos pessoas melhores!

Até a próxima! Com amor e luz!

Temas: ,

Expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman, no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach. É diretora do Centro Hoffman

2 respostas para “Insegurança: como você lida com ela?”

  1. Erica Resende disse:

    Gratidão por compartilhar seus conhecimentos! Ainda vou realizar o processo Hoffman para desenvolver meu autoconhecimento, tenho fé que conseguirei! Há algum conteúdo ou palestra sobre o processo gratuito?
    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *