Olá!

Hoje, compartilho com vocês um episódio que me aconteceu nesta última semana. Estava conversando com uma ex-aluna do Processo Hoffman, que me contava o quanto e como o treinamento havia transformado a sua vida. Ela dizia:

“Antes do curso, eu estava sempre me queixando de tudo. Nada me parecia bom o suficiente. E se algo dava errado, então, ainda que fosse um acontecimento pequeno e desimportante, eu passava horas reclamando! Esta foi, de fato, a maior mudança que senti depois do curso.

Outro dia, por exemplo, por conta do trânsito, levei duas horas a mais para chegar em casa. Mas, durante o trajeto, em vez de reclamar, eu agradeci. Pensei: está bem, hoje, infelizmente, vou tomar mais tempo; mas, pelo menos, estou no conforto meu carro, posso ouvir minhas músicas prediletas e tenho água e comida comigo – e me sinto grata por isso.

Imagine a minha surpresa ao descobrir que, se tivesse feito o percurso de sempre e no tempo de sempre, certamente teria sido uma das muitas pessoas que acabaram afetadas por uma enchente que tomou a cidade naquele dia

Um dos alicerces da metodologia Hoffman é o poder da gratidão. Mas, desde já, quero reiterar que não há nenhum misticismo ou mágica na abordagem que propomos; trata-se, na realidade, de uma constatação muito simples que, se você assim desejar, também poderá transformar radicalmente a sua vida para melhor.

Dentro do curso, que é reconhecido como o maior treinamento de Autoconhecimento do mundo, nós trabalhamos com a ideia de que acontecimentos acontecem. E não é óbvio?

Nenhum de nós está ou estará livre de dias ruins, de perdas, de sofrimentos, de dores, de mágoas, de choros e tristezas. Mas, para nós, a maneira como vamos lidar e enxergar esses momentos difíceis é que vai moldar a nossa existência em definitivo.

A neurociência, aliás, defende esse mesmo ponto de vista. Diversas pesquisas mostram que a capacidade de positivar acontecimentos negativos estimula o melhor funcionamento cerebral e protege o sistema neurológico. Mas, reitero: positivar acontecimentos negativos não significa fingir que não aconteceram; pelo contrário, significa aceitá-los, afinal, se aconteceram, aconteceram por uma razão.

O que eu quero dizer hoje é que, bem, muitas pessoas almejam controlar tudo aquilo que lhes acontece e, por isso, ficam extremamente frustradas e ansiosas quando percebem que essa é uma meta impossível de se alcançar. E a minha pergunta é: por que é, então, que escolheríamos desperdiçar nosso tempo e nossa energia nos queixando daquilo que foge ao nosso controle?

Eu sei que choveu. E que seus planos eram ir à praia. E que, por causa da tempestade, você foi obrigado(a) a ficar em casa. Mas por que é que você escolhe ficar em casa reclamando, se poderia aproveitar o tempo livre para assistir a um filme, dormir, ler um bom livro, cozinhar ou colocar o papo em dia com suas pessoas queridas?

É disso que trata a gratidão. Se eu sei, profundamente, que acontecimentos acontecem, e que tudo acontece por um motivo, minha vida naturalmente se torna muito mais leve e propositada: afinal, eu sempre estou no lugar em que deveria estar, no momento e com as pessoas certas, e minha única missão é tirar proveito de cada experiência (mesmo aquelas que, inicialmente, me parecem negativas).

A seguir, eu compartilho mais três excelentes motivos para você começar a praticar a gratidão diariamente!

 

Nenhum de nós está ou estará livre de dias ruins, de perdas, de sofrimentos, de dores, de mágoas, de choros e tristezas. Mas, para nós, a maneira como vamos lidar e enxergar esses momentos difíceis é que vai moldar a nossa existência em definitivo.

A gratidão nos reconecta à abundância e à prosperidade

Sabia que prosperidade é muito mais do que simplesmente acumular dinheiro? Sim, trata-se da sua capacidade de se conectar à abundância que existe no universo!

Então, se você quer acumular riquezas, se você quer conquistar sucesso material, emocional e espiritual, é preciso que esteja aberto(a) para a prosperidade – um caminho que requer muita, muita gratidão.

Pense, por exemplo, no lugar que você ocupa hoje e agora apenas no aspecto profissional.

Como foi que chegou até aqui? Quem foi que lhe ajudou e incentivou? Foram seus pais que lhe estimularam a estudar e/ou lhe ensinaram o valor do trabalho? Quem lhe ofereceu seu primeiro emprego? E quem lhe ajudou a ascender na vida profissional? Quais foram as oportunidades que mudaram a sua vida? E quais foram as derrotas que contribuíram para o seu aprendizado e crescimento?

Perceba: quanta gente e quantos acontecimentos há para agradecer no caminho que você trilhou até agora somente na sua carreira! Aliás, você agradeceu a si mesmo(a) por ter lutado tanto pelos seus objetivos?

É disto que estou falando. Se você pensou com carinho nas perguntas que lhe fiz, imagino que esteja inundado(a) nesse instante por uma sensação deliciosa de gratidão, o que deve lhe deixar muito encorajado(a), entusiasmado(a) e inspirado(a) a seguir em frente! Esta é a conexão com a melhor e mais profunda conexão com a prosperidade; é seu combustível para continuar trabalhando pelo seu sucesso.

 

A gratidão ampliar nossa capacidade de dar e de receber amor

No nosso melhor ou no nosso pior, a gratidão nos iguala e nos devolve ao lugar ao qual já pertencemos, das pessoas comuns, iguaizinhas às demais, em que ora podemos cuidar, e ora demandamos cuidado. A ‘mágica’ desse sentimento é justamente essa: nos devolver à nossa grandiosidade, porque, afinal, eu só consigo agradecer de coração se estiver desprovida de preconceitos, orgulho, soberba.

Especialmente quando a gratidão é direcionada a alguém – uma pessoa que nos ajudou, acolheu e amou quando não fomos capazes de fazê-lo por nós mesmos –, precisamos, antes de tudo, desenvolver nossa autoconsciência para assumir que não estávamos dando conta, assumir que aquela ajuda foi muito bem-vinda e necessária. Ou seja, precisamos descer do salto, aparar a crista, sair da arrogância, da prepotência e da superioridade.

Em outras palavras, primeiro, eu reconheço que não fui capaz de fazer por mim, que precisei de ajuda e que minha humanidade se fez presente num momento de dificuldade; depois, eu reconheço que o outro supriu aquilo que não tive condições de dar a mim. Ele me abraçou, acarinhou, deu exemplo, estimulou e me deu a mão na hora em que eu realmente precisava. Essa é a gratidão, um sentimento que nasce na hora em que eu sou mais eu, sem máscaras e sem fantasias.

Portanto, sentir-se grato é algo que nos devolve o sentimento de pertencimento e aumenta nossa compaixão: a partir dessa emoção, tenho uma visão horizontal das demais pessoas. Deixo de vê-las de baixo para cima ou de cima para baixo. Não sou mais e nem menos; sou igual.

 

A gratidão estimula sua capacidade de perdoar

Não sei se você sabe, mas escrevi o livro “Perdão – A Revolução que Falta”, no qual abordo todos os possíveis aspectos relacionados a esse tema. E, bem, uma das partes mais importantes da minha abordagem é que, em última instância, o perdão somente beneficia a quem perdoa, afinal, não temos como inferir se causará algum efeito em quem foi perdoado.

Portanto, se alguém me fez mal no passado, a memória afetiva que trago deste acontecimento só prejudica a mim mesma – e volta a me ferir repetidamente sempre que me lembro do que houve. Aquele que me feriu talvez nem saiba do mal que me causou ou nem mesmo se recorde. Ou seja, reviver a mágoa só prejudica a mim, não ao outro; portanto, quem merece perdoar e se libertar dessa memória sou eu!

E o que isso tem a ver com a gratidão?

Veja: como disse, tudo que acontece, acontece por um motivo. Se sou grata aos acontecimentos, mesmo aqueles que me marcaram negativamente e que me fizeram experienciar algum tipo de dor ou tristeza, eu também sou capaz de perdoar esses eventos. Afinal, acontecimentos acontecem, e eu não fui vítima dessas circunstâncias; apenas tive de vivê-la por alguma razão que talvez ainda não faça sentido, mas que certamente fará.

Bem, este é o meu convite de hoje, e espero que vocêtenha gostado! Se quiser começar agora mesmo, sugiro que faça uma lista: pelo o que você é grato(a) no dia de hoje? Quais coisas lhe aconteceram, da hora que você  acordou até o presente momento, que merecem sua gratidão?

Pratique. E colha os bons frutos desse exercício.

Com amor e luz,

Expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman, no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach. É diretora do Centro Hoffman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *