Sempre defendo que o otimismo e a positividade são essenciais para quem quer ganhar mais saúde, bem-estar e longevidade. Trata-se, na verdade, de uma constatação científica: diversos estudos realizados ao redor do mundo já concluíram que nossos pensamentos e sentimentos são capazes de nos influenciar tanto para o bem, como para o mal. Isso porque, segundo os pesquisadores, o nosso corpo responde em nível celular às emoções, sejam elas boas ou más.

Na prática, os pensamentos negativos tendem a sabotar a nossa saúde emocional, física e mental – portanto, é preciso que estejamos sempre de olho em nosso estado de espírito e, em especial, à forma como lidamos e reagimos aos obstáculos. Estou falando especificamente sobre aqueles pensamentos que surgem à mente de maneira furtiva, quase em silêncio:

“Você não vai conseguir”
“Agora ficou muito difícil”
“Você não tem capacidade para lidar com esse problema”
“Você não dá conta”

Será que você costuma repetir uma dessas frases para si mesmo(a) sem nem se dar conta? Se sim, sugiro que tente abandonar esse hábito imediatamente. Afinal, para uma vida longeva e saudável, é indispensável positivar aquilo que repetimos, dizemos e pensamos para nós mesmos.

E sabe como você pode interromper essa “mania” de se autodepreciar? A partir do autoconhecimento!

Sim, se seu desejo é viver mais e melhor, você precisa saber que o autoconhecimento lhe ajudará a criar ferramentas para transformar seus pensamentos. Afinal, se você for capaz de perceber que está mandando mensagens negativas sobre si mesmo(a) para si mesmo(a), também terá condições de bloqueá-las e amenizar seu impacto. Em vez de “você não consegue”, dirá, então “se desse jeito não deu certo, qual outro posso tentar?”.

Lembre-se: quem se se reconhece e reconhece as próprias imperfeições e qualidades, cuida muito mais de si mesmo.

 

Otimismo também é remédio…

São inúmeras as pesquisas que relacionam as emoções negativas – como a culpa, a ansiedade e a tristeza – ao surgimento de doenças. O amor-próprio, sentido e praticado de maneira constante e honesta, serve como prevenção a essas emoções.

Da mesma forma, a positividade é uma grande aliada para prevenir distúrbios como a depressão e ansiedade, que são estados emocionais que nos tiram do momento presente. Isso acontece porque a depressão nos aprisiona às frustrações do passado, enquanto a ansiedade nos mantém reféns das expectativas para o futuro. Por isso, tanto em um caso quanto em outro, é muito importante desenvolver ferramentas que nos permitam fincar os pés no presente.

Quando conseguimos olhar para nós mesmos e aceitar tudo aquilo que nos acontece, somos capazes de compreender, profundamente, que o ontem e o amanhã não existem; o agora é o único momento possível, portanto, é preciso desfrutá-lo e torná-lo o mais prazeroso e produtivo possível.

Claro que momentos ruins podem acontecer e está tudo bem também você se permitir chorar, ficar chateado ou triste. A diferença é que, com a positividade, você compreende que aqueles momentos vão passar, e que apenas uma parte sua, da sua vida, pode não estar bem.

 

Ser otimista e positivo trata-se essencialmente de uma mudança de entendimento e de aceitação em relação aos fatos que nos acontecem, inclusive, aqueles que nos magoam ou machucam. E “aceitação”, vale dizer, também não significa ficar paralisado diante da situação, mas, sim, respondê-la de maneira apropriada e que não lhe cause ainda mais prejuízos.

… E fortalece o sistema imunológico!

Outra comprovação científica importante: as emoções, os pensamentos positivos, o bem-estar e paz interna impactam positivamente nosso sistema imunológico e, segundo a medicina, ajudam a fortalecer barreiras contra doenças. O contrário já se sabe que é verdade também, ou seja, que as negatividades (raiva, ódio, mágoa etc.) podem atrapalhar a saúde ao enfraquecer o nosso organismo.

A positividade e o otimismo contribuem ainda para que possamos ampliar nossa sensação de alegria e de felicidade, o que também está intimamente ligado à saúde. Por isso, também sempre reitero a importância de treinar o pensamento positivo – inclusive como uma maneira de praticar o perdão e o autoperdão, outro passo fundamental na conquista da longevidade.

Em meu livro, “Perdão – A Revolução que Falta”, eu explico porque é que quando nos sentimos culpados tendemos à frustração, depressão, mágoa e tantas outras emoções negativas. Com o perdão e a positividade, você pode reconhecer sua falha e buscar o ponto da melhoria, da mudança de estado emocional dentro de você.

A culpa por não aceitar as próprias limitações pode gerar diversos sintomas também físicos. Por isso, cuidar de nossa postura diante da vida é tão importante quando se trata de preservarmos nossa saúde.

 

Mas, afinal, como você pode colocar o otimismo em prática?

Ao contrário do que muitos pensam, ser positivo ou otimista não significa colocar óculos cor-de-rosa e ignorar o que acontece à sua volta. Também não tem nada a ver com ignorar os problemas ou dificuldades que aparecem pelo caminho.

No meu outro livro, “O Mapa da Felicidade”, eu explico, inclusive, por que a positividade é uma de nossas partes mais íntegras e fundamentais: quando sou positiva, a positividade passa a me constituir; portanto, independe de fatos e pessoas.

Como citei antes, evidentemente a vida nos apresentará situações que nos entristecem, aborrecem, cansam, e tudo isso mina a felicidade momentaneamente. Entretanto, isso não quer dizer que essas situações precisam resultar em negatividade ou em vitimização.

Em resumo, positividade não significa manter-se alegre o tempo todo, até porque isso é quase impossível; mas é possível você estar íntegro(a) e integrado(a) o tempo todo. Ou seja, na prática, isso significa que você pertence a este mundo e pode escolher como se posicionar nele, de modo completo, com todas suas capacidades e inteligências.

Assim, poderá compreender que, se algo lhe acontece, acontece por um motivo. Então, se uma situação ruim ou desagradável surgir, perguntará: PARA QUE isso me serve? O que me traz de aprendizado? Essa postura, por si só, já é uma maneira de praticar o otimismo e afastar o pessimismo.

Ser otimista e positivo trata-se essencialmente de uma mudança de entendimento e de aceitação em relação aos fatos que nos acontecem, inclusive, aqueles que nos magoam ou machucam. E “aceitação”, vale dizer, também não significa ficar paralisado diante da situação, mas, sim, respondê-la de maneira apropriada e que não lhe cause ainda mais prejuízos.

Veja: você pode ficar irritado(a), por exemplo, com uma situação que lhe aconteceu pela manhã. Mas se essa irritação se arrasta para todo o seu dia, semana, meses, afeta às pessoas que estão perto de você… Bem, isso é uma escolha sua. E, em suma, você está autorizando a esse acontecimento que lhe afete dessa maneira e que prejudique, inclusive, sua vida e sua saúde.

Só para encerrar, reitero: ser otimista e positivo também é uma maneira de viver o presente da maneira como ele se dá. Em vez de sofrer pelo o que já passou ou pelo o que está por vir, você compreende profundamente que somente o agora está ao seu alcance – e que, portanto, é somente sobre ele que você pode agir ou sentir.

Bem, espero que tenha gostado!

Escrevo novamente em breve.

Desejo muito amor e luz em seu caminho!

Temas:

Expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman, no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach. É diretora do Centro Hoffman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *