Olá!

Já estamos no mês de abril e imagino que você tenha a sensação de que nem viu o tempo passar! É isso o que acontece quando entramos no piloto automático; nós realmente não nos damos conta de tudo o que fizemos e de tudo que deixamos por fazer.

Então, queria aproveitar esse momento do ano para lhe fazer duas perguntas (por favor, tire um tempinho para essa reflexão e para essa leitura; ela é um pouco mais longa, mas pode mudar a sua vida):

Quais são seus objetivos para os próximos meses?
O que falta ou precisa acontecer para que você encerre 2019 com a sensação de que foi um ano inesquecível?

Bem, sejam lá quais forem seus sonhos e metas, quero lembrar que você tem TOTAL CONDIÇÕES de realizá-los. O primeiro passo, claro, é querer. O segundo é agir para tornar esse objetivo possível.

Dito isso, eu tenho duas notícias pra lhe dar, uma ruim e uma boa. A ruim é que, de acordo com a ciência, a procrastinação (essa mania de deixar tudo para depois) é um dos PIORES inimigos dos nossos objetivos. Adiar nossos planos faz com que fiquemos frustrados, impotentes, ansiosos e até deprimidos (e nós já vamos falar um pouquinho mais sobre isso).

A boa notícia é que, também de acordo com estudos, o Autoconhecimento é a solução para esse sofrimento!

Pense comigo: quantas ações e comportamentos você têm no dia a dia que, de fato, só trazem resultados insatisfatórios? Quantas vezes você deixa seu cronograma para depois e, então, precisa sacrificar seus momentos de lazer para dar conta do que ficou para trás? E quantas vezes você gostaria de fazer diferente, mas simplesmente não consegue?

Bem, é isso o que o Autoconhecimento faz por você: ele lhe dá a chance de tdescobrir para ransformar a si mesmo(a) de forma que possa oferecer novas respostas a velhos problemas.

Agora que chegamos aqui, eu vou lhe ensinar 3 passos essenciais e práticos para que possa dar início a uma mudança de comportamento que perpassam pelo Autoconhecimento. Mas, lembre-se: toda e qualquer mudança só é possível se a) você quiser; b) você treinar e c) você treinar um pouquinho mais!

 

É muito recorrente a crença de que estar constantemente atarefado é algo positivo, afinal, na nossa sociedade, o trabalho norteia as relações. Portanto, toda essa pressão só pode ser sinônimo de valor e de importância: quanto mais eu faço, mais me darão para fazer, e mais indispensável eu me torno.

1) Para de procrastinar: identifique o seu círculo vicioso da procrastinação

Ao longo dos anos, um dos traços mais comuns que identifiquei nos procrastinadores que passaram pelo Processo Hoffman é o fato de que grande parte deles usa esse comportamento para não ter de lidar com os problemas e sentimentos que os afligem de VERDADE.

Ou seja, é quase como se eles preferissem lidar com a culpa de estarem sempre atrasados, sempre devendo, sempre estressados e frustrados com as próprias agendas; afinal, enquanto lidam com “todos esses problemas”, não precisam encarar de frente as questões que realmente lhe causam problemas.

Esse comportamento, aliás, é muito frequente entre executivos, empreendedores e pessoas que ocupam cargos de liderança. Muitos deles estão presas a um velho paradigma de que, bem, se estiverem com as tarefas em dia, se tiverem cumprido 100% das metas, isso só pode significar que não fizeram um trabalho bem feito. É algo como: “se eu acabar o trabalho antes, parece que foi fácil fazê-lo, e não me darão o devido valor. Então, é preciso mostrar que estou sobrecarregado e estressado para que possa ser reconhecido”.

Em suma, é muito recorrente a crença de que estar constantemente atarefado é algo positivo, afinal, na nossa sociedade, o trabalho norteia as relações. Portanto, toda essa pressão só pode ser sinônimo de valor e de importância: quanto mais eu faço, mais me darão para fazer, e mais indispensável eu me torno.

E a verdade é que, na prática, não é nada disso! Ou, pelo menos, não deveria ser.

Cumprir prazos demonstra organização, entusiasmo e comprometimento. Mas não só com a empresa ou com o trabalho que se tem e, sim, essencialmente, consigo mesmo. Você, certamente, também tem uma história pessoal que sirva de exemplo do que estou dizendo: lembre-se de uma situação em que usou sua capacidade de superação para alcançar seu objetivo só porque se sentia profundamente entusiasmado(a) por essa missão!

É isso o que acontece com todos nós. Dentro e fora do trabalho, fica muito mais fácil cumprirmos nossas metas se estivermos emocionalmente engajados com essa missão. Mas é evidente que nem sempre é fácil ativar esse engajamento, o que nos leva ao círculo vicioso da procrastinação:

Se eu deixo para depois, eu sinto culpa;
E quanto mais culpa sinto, mais eu me digo que sou incapaz;
e quanto mais incapaz eu acredito ser, bem, mais eu deixo para depois – afinal, eu realmente não tenho condições de cumprir aquela missão!

Não é isso o que acontece?

Então, á minha pergunta é: quais são, de verdade, as tarefas e objetivos que, hoje, estão “presas” no seu círculo vicioso? Por que é que você SEMPRE as deixa para depois?

 

2) Pare de procrastinar: por que e o que é que você SEMPRE deixa para depois?

Esta pergunta vale ouro para os procrastinadores – até porque será preciso muita coragem para respondê-la. A verdade é que todo processo de Autoconhecimento e de autoconsciência requer coragem: nem sempre é fácil se olhar por inteiro para reconhecer quem se é. Principalmente porque muitos de nós fomos treinados a enxergar sempre o defeito antes da qualidade, então, olhar-se no espelho significaria essencialmente despejar em si mesmo uma enxurrada de autocrítica.

Mas, não, não é isso o que eu quero que você faça. A minha proposta é que seja honesto(a) consigo mesmo e que procure, aí dentro de você, quais são seus padrões mais recorrentes de procrastinação.

Você adia a ida para a academia?
A mudança alimentar que promete lhe tornar mais saudável?
A visita aos seus pais e familiares?
O passeio com seus filhos?
A conversa com seu chefe sobre aquele aumento de salário?

O que é que você mais costuma deixar para depois – e como é que você se sente quando faz isso?

Certo… Agora, me conte:

Ao adiar tais ações, o que é que você perde?

E o que é que você ganha?

(Veja: se você acreditasse que só perde, certamente já teria mudado de comportamento; há algo nesta história, uma crença inconsciente, que lhe faz ter a certeza de que é adiar lhe traz ganhos… A minha pergunta é: qual é essa crença?).

Este não é um exercício fácil ou simples assim. Você vai precisar de tempo e comprometimento para, aos poucos, encontrar respostas que possam abrir o caminho para a solução.

Mas é disso que estou falando: quando você se torna autoconsciente das são suas crenças mais profundas, principalmente daquelas que realmente lhe paralisam e impedem de seguir em frente, ficará muito mais fácil derrubá-las.

 

3) Pare de procrastinar: volte ao presente

Outro traço muito comum dos procrastinadores é a ansiedade. Porque estão sempre correndo contra o tempo, eles ficam sempre com um pé no passado – ou seja, naquilo que deixaram de fazer – e o outro no futuro – ou seja, naquilo que terão de fazer para compensar o que ficou por fazer. E, portanto, é quase como se o momento presente não existisse.

Por isso, a minha dica é: quando se sentir perdido(a), frustrado(a), ansioso(a) ou deprimido(a) com as tarefas que procrastinou, que tal trazer sua atenção para o AGORA?

Sim, agora é o único momento que você realmente tem, então, de que adianta pensar no que você não fez? Ou sofrer com o que terá de fazer lá na frente? Veja: permanecer preso ao passado ou ao futuro é algo que alimenta a procrastinação. Afinal, a culpa toma o espaço da criatividade, do foco, da capacidade de atuar e, em vez de produzir, você… Paralisa!

Então, diante da procrastinação, dos acontecimentos e sentimentos que roubam sua atenção e lhe tiram do presente, apenas… Respire. Inspire com calma. Expire com calma. Faça esse exercício com atenção e foco. Ou seja, respire com consciência de que está respirando e mais nada. Conte para si mesmo(a) o quanto essa experiência é fenomenal – afinal, enquanto seres humanos, não há nada que façamos de maneira mais automática e inconsciente que respirar.

Respirar com consciência é fincar os pés no presente; e daí, pergunte-se: o que você pode fazer AGORA, nesse instante, que lhe ajudará a dar mais um passo rumo aos seus objetivos?

Você não precisa começar e terminar hoje aquele projeto; mas qual é o passo que pode dar? De passo em passo é que se chega lá!

Talvez, hoje, você ache muito difícil, quase impossível acabar com a procrastinação para realizar seus verdadeiros objetivos; talvez sinta tanta culpa que nem imagina uma forma de estancar sua frustração.

Bem, muitos dos alunos do Processo Hoffman chegam ao curso exatamente assim. E você ficaria surpreso se ouvisse os relatos do que eles conseguiram alcançar em apenas sete dias de treinamento!

O que eu quero lhe contar hoje é que existe um caminho para que seu ano seja inesquecível. Que existe, aliás, uma escolha, uma jornada que só você pode fazer para que seus dias sejam exatamente como deseja.

Essa é uma decisão que certamente vai mudar a sua vida e que eu adoraria que você tomasse sem mais procrastinações. O que você acha do meu convite?

Espero por você!

Com amor e luz,

Temas:

CEO do Centro Hoffman, é expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e de "Perdão, A Revolução que Falta", além de coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *