Compreender a origem dos nossos padrões é o primeiro passo para modificá-los e, assim, melhorar a maneira como nos relacionamos com nosso próprio dinheiro, gerando maior bem-estar, sucesso e prosperidade

Há quem prefira guardar cada centavo conquistado para investir ou manter um sonho, por medo de perder o dinheiro que tem. Há, também, os que gastam desenfreadamente e, ao final do mês ficam sem nada. Entre estes extremos, existem ainda tantas outras maneiras de lidar com os recursos monetários, mas, curiosamente, pouca gente percebe que, por trás disso, há padrões comportamentais e crenças aprendidas desde a infância e que determinam o modo automático de pensar e agir.

Que crenças sustentam suas ações com o dinheiro? Que crenças com o dinheiro sustentam o seu negócio? Quais alimentam suas relações com as pessoas, o ambiente e a sociedade? Você também acha que dinheiro é o fim e não o meio para obter o que deseja? Você também aprendeu que somente trabalhando muito você conseguirá ter dinheiro para uma vida tranquila?

Compreender a origem destes padrões é o primeiro passo para modificá-los e, assim, melhorar a maneira como nos relacionamos com nosso próprio dinheiro, gerando maior bem-estar, sucesso e prosperidade. De nada adianta apenas o “ter” se o “ser” está em desalinho.

A maioria de nós foi criada para estudar e trabalhar em algo para ganhar dinheiro, mas sem um propósito maior, sem um objetivo. E quando nos damos conta, o comportamento está tão automático e enraizado, que não percebemos que estamos sim ganhando dinheiro, mas estamos completamente infelizes. Costumo questionar os meus alunos sobre para quê eles querem dinheiro. A maioria diz que é para poder ter uma vida tranquila, para educar os filhos, ter uma casa. E eu digo a eles que isso é muito pouco, é muito básico.

Sempre digo que as múltiplas inteligências humanas influenciam os resultados e isso também nas ações ligadas ao dinheiro. Estar aberto para a abundância é um posicionamento interno. Depende de cada um de nós desenvolver o autoconhecimento para conquistar realização no que diz respeito ao dinheiro, carreira e profissão.

Ao adquirir a consciência que você pode mais, você pode fazer algo realmente novo e que te faça sentir satisfeito com a vida, com o amor e com o dinheiro que está aí, você deixa de acreditar nas crenças negativas e inicia um processo de mudança. Quando você estimula sua criatividade, começa a dar um salto de qualidade na vida e o que antes era focado apenas em receber, agora passa a envolver o dar.

A autoconsciência promove a desmistificação de crenças e paradigmas para que profissionais, líderes, empresários e pessoas em geral possam maximizar a relação: dinheiro, bem-estar e prosperidade, e encontrar novas maneiras de equilibrar a vida pessoal e a vida profissional, para que ambas se sustentem em realizações.

Temas: , ,

CEO do Centro Hoffman, é expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e de "Perdão, A Revolução que Falta", além de coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *