Conferência aconteceu no dia 06 de março de 2013.

A maior parte das pessoas deseja mudar algum aspecto de sua própria vida. Pode-se querer mudar um comportamento recorrente, ou mudar de profissão, ou mudar de parceiro. No entanto, seja qual for a mudança, quando se veem diante desse desejo, é comum que essas mesmas pessoas sintam-se perdidas, paralisadas, procurando, ou melhor, esperando por uma solução miraculosa. É importante lembrar, no entanto, que nenhuma transformação concreta acontece sem prática e sem dedicação.

De acordo com Heloísa Capelas, especialista em desenvolvimento humano, o melhor caminho para sair da zona de conforto é saber identificar atitudes e comportamentos que precisam ser modificados ou aprimorados. Ou seja, é preciso investir em autoconhecimento para colocar em curso mudanças efetivas capazes de gerar os efeitos esperados. Para ajudar nessa missão, Heloísa ministrou uma palestra intitulada “Qual a sua disposição para mudanças?”. A conferência foi transmitida online para os internautas.

Entre outros tópicos, Heloísa falou sobre a necessidade de comprometer-se diariamente com as mudanças desejadas. “Se você planeja, por exemplo, mudar de emprego, vai ter trabalho pela frente: adequar o currículo, enviá-lo às empresas em que gostaria de trabalhar, passar pelos processos seletivos, até que, por fim, consiga um novo trabalho. O exemplo pode parecer bobo, mas todo mundo, um dia, passa por um processo como esse e entende que dedicação e prática são imprescindíveis”, explica.

De acordo com a especialista, a mesma regra vale para a área emocional e comportamental. “As mudanças internas exigem esforço, mas, por algum motivo, temos a ilusão infantil de que esse processo se dará de forma mágica e trará resultados imediatos”, afirma. A receita para promover transformações pessoais de forma consistente é investigar-se a fundo para descobrir quais padrões negativos precisam ser rompidos.

“Não há mudança emocional ou comportamental que se dê sem autoconhecimento. É preciso questionar-se sobre aquilo que se deseja mudar. E, então, descobrir qual a origem desse comportamento. A pergunta é: qual processo fez com que você se tornasse essa pessoa? Você descobrirá muito sobre o que não quer e, a partir daí, terá clareza sobre os comportamentos novos que deseja adotar. Daí em diante, é tudo questão de treino. É dedicação para instalar a prática”, conclui Heloísa.