Você reconhece o bem e o mal dentro de você? Um “anjinho” e um “diabinho” que te acompanham o tempo todo? Deixe-me contar: você não é o único a viver e conviver com esse aparente conflito.