Chat with us, powered by LiveChat

Processo Hoffman: revelando as pesquisas científicas

O Processo Hoffman foi originalmente criado em 1967, por Bob Hoffman, na Califórnia (EUA). Bob, um estudioso da natureza humana, desenvolveu a metodologia com base numa série de teorias e práticas conhecidas e aplicadas pelas mais diversas áreas do conhecimento, como a pedagogia e as neurociências.

O segredo, por assim dizer, da metodologia Hoffman é o fato de englobar uma série de técnicas capazes de beneficiar o indivíduo como um todo, em vez de simplesmente visar à cura de seus sintomas. O objetivo do treinamento é proporcionar a integração das quatro inteligências humanas: intelectual, emocional, física e espiritual.

Hoje, o Processo Hoffman consiste num sólido programa de reeducação emocional com resultados científicos comprovados pela Universidade Harvard, Universidade da Califórnia (Davis), Universidade de Münster e outros, como você pode conferir a seguir!

 


[Universidade da Califórnia] Pesquisa científica | Mudança emocional positiva: medindo os efeitos do perdão e da espiritualidade

Autores: Michael R. Levenson, PhD; Carolyn M. Aldwin, PhD; e Loriena Yancura, PhD2.

Um dos mais importantes estudos já realizados sobre o Processo Hoffman, este artigo da Universidade da Califórnia foi publicado no periódico Explore, um dos jornais científicos mais relevantes do mundo. De acordo com os autores da pesquisa, a proposta era avaliar “a eficácia de um programa de educação emocional que busca reduzir a transmissão intergeracional de padrões de interação negativa, aumentando o perdão e a espiritualidade.

Para alcançar esse objetivo, durante um ano, o grupo de pesquisadores examinou a redução dos sintomas psicológicos (como depressão, ansiedade, hostilidade, obsessão-compulsiva, entre outros) e, também, avaliou o aumento de resultados psicológicos positivos (como autoconfiança, perdão, empatia, inteligência emocional, entre outros).

A amostra do estudo foi composta por 99 participantes do Processo Hoffman e mais 44 pessoas interessadas em passar pelo treinamento (as quais, por qualquer razão, ainda não haviam se inscrito no curso e foram convidadas a compor o grupo de controle). Para garantir a confiabilidade do estudo, os pesquisadores asseguraram que ambos os grupos tivessem características similares em termos de etnia, estado civil e gênero. Na avaliação inicial, os sintomas apresentados também eram semelhantes.

Todas essas pessoas foram submetidos a uma avaliação inicial (chamada nas tabelas a seguir de T1) e, depois, repetiram este processo na marca nos 3 meses (T3) e do 1 ano (T4). Os ex-alunos do Processo Hoffman também responderam a pesquisa uma semana depois de participarem do treinamento (T2).

Confira, na tabela, os resultados obtidos pelos pesquisadores.

 

Tabela de comparação dos resultados obtidos por participantes e interessados no Processo Hoffman. Dados computados pela Universidade da Califórnia.

Tabela de comparação dos resultados obtidos por participantes do Processo Hoffman e pessoas que manifestaram interesse no treinamento, mas não o fizeram (acima, chamado de “controle”). Dados computados pela Universidade da Califórnia.

 

Em resumo, os dados acima mostram:

  • Redução dos aspectos negativos entre participantes do Processo Hoffman

Imediatamente após o treinamento, os participantes do Processo Hoffman reduziram consideravelmente os índices de depressão, hostilidade, ansiedade, hipersensibilidade interpessoal, obsessão-compulsiva e somatização. Esses resultados oscilaram, mas permaneceram relativamente constantes no período de um ano. Nesse mesmo período, o grupo de controle, ou seja, aqueles que não participaram do treinamento, mantiveram suas medidas de aspectos negativos praticamente inalteradas.

  • Aumento dos aspectos positivos entre participantes do Processo Hoffman

Também são grandes os ganhos dos participantes do Processo Hoffman em termos de autoconfiança, perdão, inteligência emocional, satisfação de vida, empatia, espiritualidade, e saúde e bem-estar em geral. Da mesma forma, o grupo de controle permaneceu praticamente inalterado. Os indivíduos que participaram do treinamento clamam ter mais clareza, energia, autoconfiança e uma comunicação melhorada tanto em sua vida profissional, quanto pessoal. Eles são capazes de fazer melhores escolhas, agir com mais intenção, e viver com mais equilíbrio e facilidade.

Além disso, entre todos os resultados computados, para os pesquisadores, dois índices merecem atenção:

 

 

Participantes do processo hoffman apresentaram resultados impressionantes na redução dos sintomas de depressão, de acordo com pesquisadores da universidade da Califórnia.

Em comparação ao grupo de controle, os participantes do Processo Hoffman demonstraram grande evolução na redução dos sintomas da depressão. 

 

 

Participantes do processo hoffman apresentaram resultados impressionantes no aumento da inteligência emocional de acordo com pesquisadores da universidade da Califórnia.

Participantes do Processo Hoffman apresentaram resultados impressionantes no aumento da inteligência emocional de acordo com pesquisadores da universidade da Califórnia.

A espiritualidade e o perdão como diferenciais

Para finalizar, os pesquisadores também estabeleceram, como principal hipótese para a redução dos sintomas da depressão, o desenvolvimento da espiritualidade e do perdão durante o treinamento.

Ao levarem em consideração a taxa de recaída dos participantes do Processo Hoffman quanto aos sintomas depressivos, os autores do estudo concluem ainda:  “a taxa de recaída de 17% para esta intervenção é comparável ao melhor obtido pelas terapias cognitivas“.


[Universidade Harvard] Pesquisa cientifíca | A Competência Emocional e o Estudo de Liderança em Harvard

Autores: Anne Gill, Ph.D. Research Associate, Departamento de Psicologia, University of Pittsburgh

Em 2008, 35 alunos da Universidade Harvard participaram do Processo Hoffman e tiveram seus desempenhos avaliados de perto por um grupo de estudiosos. Antes e após vivenciarem o treinamento – que foi ministrado para as lideranças da Escola de Líderes desta famosa instituição de ensino ao longo de três anos –, os alunos em questão foram submetidos a uma pesquisa que visava a verificar sua possível melhoria em domínios especificamente orientados pelo treinamento, bem como em habilidades previamente identificadas como relacionadas à competência emocional e à liderança eficaz.

Para tanto, com base nos itens do chamado “Questionário de Competência Emocional” (ICE; Boyatzis , Goleman , Rhee), os pesquisadores avaliaram os ganhos alcançados nos aspectos emcionais considerados relevantes para a liderança.

Os participantes do estudo foram convidados a preencher essa avaliação antes da sua participação no Processo Hoffman, um mês depois e três meses após a sua a conclusão. Eles foram avaliados nas seguintes habilidades da competência emocional (que, destrinchadas, englobam um total de 52 itens relacionados a esta competência):

• Autoconsciência emocional;
• Autoavaliação precisa;
• Empatia;
• Gestão de conflito;
• Trabalho em equipe e colaboração;
• Autoconfiança;
• Empatia;
• Transparência;
• Otimismo;
• Catalisador de Mudança;
• Controle Emocional;
• Liderança inspiradora.

  • Após um mês…

Os participantes demonstraram melhoria em 51 de 52 itens, bem como em todos os 13 domínios de competência emocionais. O mesmo aconteceu nas áreas específicas dirigidas pelo Processo Hoffman (como espiritualidade, comunicação, autenticidade etc.).

  • Após três meses…

Os participantes demonstraram melhoria em todos os 52 itens. Também sustentaram a melhoria contínua nos 17 itens a seguir:

• Posso identificar e mudar comportamentos que sabotam o meu sucesso;
• Sou capaz de abrir mão de rancores e ressentimentos;
• Eu falo e atuo com autenticidade;
• Eu sou defensivo ao receber feedback;
• Estou ciente de meus próprios pontos fortes e limitações;
• Eu tenho um senso de humor sobre mim mesmo;
• Eu tenho expectativas muito positivas;
• Eu permaneço positivo apesar dos contratempos;
• Eu aprendo com contratempos;
• Duvido da minha própria habilidade;
• Eu me apresento de uma forma segura;
• Eu coopero com os outros;
• Em um grupo, eu encorajo a participação dos outros;
• Eu, pessoalmente, lidero as iniciativas de mudança;
• Estou sou relutante em mudar ou fazer alterações;
• Eu reconhecer o impacto que os meus estados emocionais têm sobre meu comportamento;
• Eu atuo com calma em situações estressantes;
• Eu dou o exemplo;
• Eu reconheço publicamente os meus erros, quando apropriado;

Os alunos que participaram do Processo Hoffman afirmaram que a experiência contribuiu muito para sua vivência acadêmica em Harvard, e que contribuirá significativamente em sua liderança e em suas vidas privadas. Dada a popularidade e sucesso do programa na Escola de Líderes, membros de outras escolas profissionais em Harvard que trabalham com algum aspecto de serviço público expressaram seu interesse em participar do treinamento.

* Referências: Boyatzis, R., Goleman, D., Rhee,K. (2000). Clustering competence in emotional intelligence: Insights from the emotional competencie inventory (ECI). In Reuven Bar-On and James Parker (Eds.) (2000), Handbook of Emotional Intelligence, San Francisco: Jossey-Bass, pp. 343-362.

[Universidade de Münster] Pesquisa cientifíca | Autoimagem transformada: um estudo controlado da eficácia do Processo Hoffman da Quadrinidade

Autora: Christiane Windhausen (psicóloga da Universidade Münster).

Ao conduzir este estudo sobre a eficácia do Processo Hoffman, a pesquisadora Christiane Windhausen bucou compilar dados relacionados à autoconfiança e autoestima de 95 pessoas imediatamente após terem concluído o treinamento, seis meses depois e um ano após o fim do curso.

Segundo a pesquisadora, “as classificações na Escala de Autoconceito de Frankfurt mostraram que, em todos os casos, os ex-alunos do Processo Hoffman não apenas fizeram uma rápida melhoria, mas também permaneceram estáveis ao longo de testes e estudos subsequentes“.

O estudo produziu dados altamente significativos sobre as melhorias relacionadas à capacidade de gerenciar problemas, autoconfiança na tomada de decisão e na noção de amor-próprio e valor-próprio.

Além disso, comparado aos resultados terapêuticos obtidos por um grupo de controle – composto por 78 participantes que, durante três meses, frequentaram terapia em grupo no Fliedner Hospital, em Dusseldorf, na Alemanha –, o Processo Hoffman também se mostrou mais eficaz na redução da ansiedade, comportamento compulsivo e depressão. “Em todas as 38 escalas utilizadas para a avalição, os resultados apresentados pelos ex-alunos foram superiores aos obtidos pelo grupo de controle (em terapia de grupo)”.

A mesma pesquisa concluiu, ainda, melhorias contínuas nos seguintes índices relacionados à Competência Emocional:

  • Mais estabilidade interna;
  • Melhor ressonância social (ou seja, maior capacidade de interagir e expressas as próprias necessidades e emoções, bem como de se permitir a experiências mais intensas);
  • Mais autoestima e autoaceitação.

[Hoffman Internacional] Pesquisa com ex-alunos

Alguns anos atrás, a “Hoffman International”, instituição responsável por gerenciar todos os centros que aplicam o Processo Hoffman ao redor do mundo, fez a sua própria pesquisa com objetivo de mapear o perfil de seus alunos, bem como o ganho por eles obtidos. Para tanto, foram computados:

+ 2.479 respostas no total, de participantes espalhados por todo o mundo;
+ A maioria dos entrevistados, 65%, era do sexo feminino entre as idades de 40 a 49 anos;
+ A maioria dos entrevistados havia realizado o Processo Hoffman nos 5 anos anteriores à pesquisa;
+ A maioria havia feito terapia ou treinamentos de desenvolvimento pessoal e achava esses métodos eficazes;

Com base nesses dados, o que nós descobrimos foi…

1) Principais razões para participar do Processo Hoffman:

85% das pessoas que fizeram o treinamento queriam aprender mais sobre si mesmas;
85% se sentiram presos num mesmo lugar e queriam descobrir o que os estava segurando;
80% sentiram algo faltando em suas vidas;
78% queriam aproveitar mais a vida;
77% queriam aprender como se livrar da bagagem emocional;
75% queriam amar e sentir o amor mais profundamente;
72% queriam se destacar em todo o seu potencial.

2) Principais benefícios obtidos a partir do Processo Hoffman:

97% das pessoas que fizeram o Processo de Hoffman disseram estar melhor equipadas para lidar com a vida;
90% das pessoas que fizeram o Processo Hoffman encontraram um nível maior de autoconsciência;
89% das pessoas que fizeram o Processo Hoffman encontraram maior compaixão pelos pais;
81% das pessoas que fizeram o Processo de Hoffman obtiveram melhor autoestima;
80% das pessoas que fizeram o Processo de Hoffman encontraram maior prazer na vida após o processo;
78% das pessoas que fizeram o Processo de Hoffman conquistaram que um melhor relacionamento com a família;
76% das pessoas que fizeram o Processo Hoffman descobriram que eram capazes de amar e sentir amor mais profundamente;

3) O que os participantes mais dizem sobre o Processo Hoffman:

“Isso mudará a maneira como você olha sua vida”;
“Foi a melhor coisa que eu já fiz”;
“Me sinto melhor e em paz comigo mesmo”;
“Isso é algo que todos deveriam fazer”;
“Grande oportunidade de autoconhecimento”;
“Se nos sentimos bem, as pessoas ao nosso redor também vão se sentir”;
“7 dias que mudaram minha vida”;
“Transformação poderosa”.

4) Quando pensam no Processo Hoffman, a primeira palavra ou frase que lhes vêm a mente:

Transformação;
Autoconhecimento;
Liberdade;
Paz e alegria;
Auto-perdão;
Auto-descoberta;
Uma ferramenta essencial para o desenvolvimento pessoal;
2 anos de terapia em 1 semana;
A base para o meu novo plano de vida;
Isso mudou minha história para melhor;
Eu estou no comando da minha vida agora;
Descoberta pessoal;
Me ajudou a ser o pai que eu quero ser;
Não posso agradecer o Processo Hoffman o suficiente pela mudança que fez na minha vida;
A melhor experiência da minha vida;
Um curso de autoconhecimento;
Curso de auto-descoberta;
Descubra quanto você é vencedor;
Caminho rápido para a autoconsciência;
Um curso de transformação pessoal;
Um curso de desenvolvimento pessoal que muda a vida;

5) O Processo Hoffman atendeu ou superou suas expectativas?

93% dos ex-alunos isseram que sim;

6) O Processo Hoffman foi um bom investimento financeiro?

87% dos ex-alunos disseram que sim.