Olá! Como vai você hoje?
Espero lhe encontrar muito bem!

Bem, estamos ainda no início de 2019 e, por isso, decidi escrever um artigo com dicas para que você possa manter o foco nas suas metas. O motivo pelo qual decidi abordar este tema é, justamente, o fato de que, conforme os meses vão passando, muita gente deixa para trás todas as chamadas “promessas de ano novo”.

Eu, particularmente, acredito que todo dia é um bom dia para dar início a uma nova fase, portanto, na minha concepção, as promessas de ano novo caberiam a qualquer momento. Mas, como sei que se trata de um momento simbólico para uma grande quantidade de pessoas, achei importante preparar esse conteúdo. Ainda assim, reitero: essas dicas vão lhe ajudar a cumprir suas metas em qualquer período da vida, do mês ou do ano; basta que você se comprometa a segui-las, ok?

Antes de prosseguir, também acho importante explicar que meta não é a mesma coisa que propósito e, também, não é a mesma coisa que objetivo.

Objetivo é aquilo que você deseja obter, realizar ou alcançar, como, por exemplo, mudar de profissão, montar um negócio próprio, voltar a estudar, frequentar a academia etc.

Já as metas são as etapas que precisa concluir para atingir seu objetivo e, por isso, elas têm de conter datas, prazos e ações. Por exemplo: se seu objetivo é mudar de profissão, vamos imaginar quais são as etapas que pode e deve concluir para atingir este objetivo? Você pode definir como meta que vai procurar a ajuda de um coach profissional no primeiro semestre e, no segundo, conhecer mais sobre três profissões que mais parecem ter a sua cara. Ou seja, essencialmente, a meta consiste em traçar um planejamento e cumprir várias ações ao longo de um determinado período de tempo.

Por sua vez, o propósito, como conto neste artigo (que, aliás, você merece ler!), está relacionado à nossa finalidade nesta vida, à essência de quem somos, ao que nos dá significado; ele ilumina o nosso ser e define o que somos para nós mesmos e para quem nos cerca. O seu propósito é, metaforicamente, seu grande guarda-chuva e é abaixo dele que estão seus objetivos e metas; assim, quanto mais alinhados eles estiverem com seu propósito, mais feliz você se sentirá.

Dito isso, vamos às minhas dicas? Espero que goste!

essas dicas vão lhe ajudar a cumprir suas metas em qualquer período da vida, do mês ou do ano; basta que você se comprometa a realizá-las

 

1) Em primeiro lugar, invista em Autoconhecimento

Se você é novo(a) por aqui, vai me ouvir falar sobre esse assunto pela primeira vez; mas, se já leu, ouviu ou assistiu a meus conteúdos, sabe que falo da importância do Autoconhecimento praticamente o tempo todo! E, sim, mais uma vez, terei de defender essa habilidade como ferramenta de realização pessoal.

Isso porque, quando eu me conheço, eu me dou chances reais e concretas de sucesso. Eu assumo minhas fraquezas e minhas qualidades, e identifico quais das minhas limitações poderão atrapalhar o meu caminho rumo às minhas metas. Autoconhecimento é isso também, quer dizer, é a capacidade de reconhecer em quais situações eu atuo como amiga ou inimiga de mim mesma.

Por exemplo: você me diria que é uma pessoa preguiçosa?
Se sim, posso lhe pedir, então, para rever honestamente quanto essa característica tem lhe atrapalhado?
Se não, posso lhe pedir, então, para rever se respondeu minha pergunta com honestidade – e, caso continue a dizer que não é preguiçoso(a), que me conte com que frequência você se sente sobrecarregado(a) ou mesmo sozinho(a) porque ninguém lhe acompanha naquilo que quer fazer?

Perceba, então, que Autoconhecimento não é simplesmente se olhar para se criticar ou se vangloriar. O olhar para si precisa ser mais profundo que isso. De volta ao exemplo, a principal proposta é identificar, justamente, se você é muito preguiçoso ou se sua energia é tão intensa que você nunca deixa nada para depois. E, em ambos os casos, quais são as alegrias e quais são as dores que vivencia como consequência destes comportamentos.

Há danos? Há ganhos? Eu adoraria, mas não posso responder por você. Só você sabe de si, então, saiba: assim, terá capacidade de definir metas realizáveis, que é a minha segunda dica.

 

2) Estabeleça metas reais e possíveis

Com autoconhecimento, você se torna capaz de estabelecer metas reais, possíveis e realizáveis. Na prática, a troca é simples. Em vez de dizer:

“Meu objetivo é ficar mais saudável e, para isso, daqui em diante minha meta será frequentar a academia todos os dias”, você dirá…
“Meu objetivo é ficar mais saudável e, para isso, daqui em diante minha meta será praticar atividades físicas com regularidade”.

Pode parecer pouco, mas há uma grande diferença entre essas duas frases. A primeira tem tudo para lhe causar imensa frustração. Sim, porque, afinal, as chances são de que, hoje em dia, você vai muito pouco à academia (se é que vai). Daí, então, propor a si mesmo(a) uma mudança tão radical requererá uma energia tão, mas tão imensa da sua parte, que muito provavelmente você vai acabar falhando. E o que é que a gente faz quando falha uma ou duas vezes seguidas? Sim, desiste!

Então, se seu desejo é de manter o compromisso com sua meta, lembre-se de recorrer à autoconsciência para considerar as suas qualidades e suas falhas no seu planejamento. Se você é muito bom em acordar cedo, mas muito ruim em dormir cedo, coloque este fator na sua conta, por exemplo. Prometa-se estudar 3 vezes na semana pela manhã e, como recompensa, permita-se dormir um pouquinho mais tarde nos dias em que cumprir sua meta. Não parece uma boa troca?

 

3) Empregue sua atitude

Não sei você, mas, por muito tempo na vida, eu me propunha a tantos e tantos objetivos e metas de uma só vez que, quando me dava conta, todos estavam completamente fora do meu alcance. Daí, evidentemente, eu me sentia muito mal a meu próprio respeito e voltava ao círculo vicioso da autodepreciação – “eu não sirvo para nada mesmo”.

Se você já disse isso para si mesmo(a) ou algo parecido, por favor, pare por um instante e me ouça: se não empregarmos a nossa atitude na direção de nossas metas, certamente vamos falhar.

O que acontece é que, muitas vezes, o sucesso que almejamos está diretamente associado à nossa capacidade de mudança. Ou seja, ser bem-sucedido(a) requer que façamos alguma transformação na nossa rotina, na nossa maneira de enxergar o mundo, naquilo que consideramos essencial em nossa própria personalidade e até na nossa capacidade interna de negociar.

Em outras palavras, nós precisamos QUERER mudar, para MUDAR com atenção e com a intenção de alcançar um propósito maior. Isso é atitude.

A partir do momento em que você decidir correr atrás dos seus objetivos, muito provavelmente terá de abandonar velhas convicções e se deparará com novas fronteiras a serem transpostas. E você conseguirá, se assim quiser, com autoconsciência, lembra?

 

4) A dose ideal é uma ação por dia

É simples assim: o que é bom para uns pode não funcionar para outros. Portanto, eu não tenho como lhe dizer exatamente quais são os passos que você precisa seguir para concretizar suas metas; mas tenho como assegurar que, se olhar para dentro de si, saberá exatamente o que fazer. E, uma vez que tiver suas respostas, estabeleça uma ação por dia que lhe coloque no caminho do tão almejado sucesso. Não precisa ser nada grandioso, difícil ou que exija muita energia; mas precisa ser algo que tenha significado e que, de alguma forma, impacte positivamente a sua busca.

Como disse antes, a busca pela transformação se inicia internamente. Antes de determinar metas, é importante avaliar, de forma consciente, o que movimenta e alimenta essas vontades.

Sua autoconsciência e atitude são o ponto de partida da transformação que deseja. O ato de olhar para si mesmo(a), praticado constantemente, estimulará seu autoconhecimento e lhe ajudará a estabelecer metas reais. Por sua vez, seu comportamento o levará a alcançá-las.

Lembre-se sempre que, quando você sabe onde, como e com quem quer chegar, o seu caminho se torna mais leve e pleno. Mais que isso, você passa a liderar a si mesmo(a) na direção que deseja seguir. Pratique mudanças que floresçam no seu interior e alcancem seu comportamento e suas relações.

 

5) Recompense-se!

Não sei se você sabe, mas aí vai uma informação que fez toda a diferença na minha vida: o cérebro precisa de reforços positivos para instalar as mudanças de maneira mais efetiva. Afinal, ele está acostumado ao nosso “jeitão de ser”, por piores que possam ser as consequências desses comportamentos; então, quando lhe pedimos para fazer diferente, encontramos alguma relutância. A melhor maneira de vencer essa barreira é contar para nossos neurônios que essa transformação, na realidade, é para melhor, muito melhor! E como? Sim, a partir da recompensação.

Então, invista no autorreconhecimento. Presenteie-se pelos passos que deu, pelas metas que cumpriu, mas, claro, sem exagero e com muito equilíbrio!

Bem, por hoje é só. Espero ter lhe ajudado!

CEO do Centro Hoffman, é expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e de "Perdão, A Revolução que Falta", além de coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *