Olá!

Você sabia que o Autoconhecimento também beneficia (e muito) a sua vida sexual? Vamos falar sobre este assunto?

Bem, talvez, só de ter me “ouvido” usar a expressão vida sexual, várias coisas tenham passado pela sua cabeça. Pode ser que tenha se sentido constrangido(a) ou desconfortável. Talvez, tenha pensado que esse tema não é tão importante assim, “mas já que estamos aqui”… Ou, quem sabe, ficou superinteressado(a) pela possibilidade de aprender algo novo sobre sexo.

Será que você viveu algum desses sentimentos ou pensamentos?

Independentemente de qual tenha sido sua resposta, saiba que este foi o primeiro passo para que comece a aplicar o Autoconhecimento ao sexo e à sua vida sexual: agora, você começou a perceber a forma como reage quando este é o assunto.

Infelizmente, muitos de nós nutrimos uma série de tabus relacionados ao sexo simplesmente porque não topamos o desafio de falar ou refletir a respeito. Fomos ensinados, ainda na infância, que sexo é feio, sujo, que é cheio de regras e de “não podes”, e levamos essas crenças para a vida adulta sem nem mesmo perceber.

Como resultado, naturalmente, vivemos a frustração, a falta de libido e até o medo de estabelecer relações sexuais. Mas, com Autoconhecimento, todas essas questões podem ser melhoradas e até solucionadas.

 

Olhe-se. Toque-se. Perceba-se. E curta cada pedacinho que existe em você. Ninguém tem como lhe satisfazer se nem você mesmo(a) souber o que quer.

Autoconhecimento e vida sexual: o que é que você realmente gosta e quer?

Todos os anos, infelizmente, recebemos muitos alunos no Processo Hoffman que foram vítimas de abusos sexuais na infância e/ou em algum período da vida. O treinamento também se mostra muito eficaz nesses casos, mas, dada a particularidade de cada situação, reitero que, se esta é sua experiência, há outros caminhos e abordagens complementares e disponíveis para lhe ajudar. O Processo, certamente, vai lhe fazer muito bem, mas o acompanhamento terapêutico antes e depois do treinamento será indispensável para que possa retomar sua vida de maneira saudável e plena.

Dito isso, a minha proposta, neste artigo, é propor a todos que buscam construir uma vida sexual mais saudável que olhem para si mesmos e tentem identificar quais limitações estão autoimpostas e geram comportamentos que você repete de maneira automática. Ou seja:

O que é que você gostaria de viver sexualmente, mas não tem coragem?
O que é que você faz sobre ou no sexo, mesmo sem querer, só porque acha que precisa ou deve?
Quais são suas limitações? E suas habilidades?
Você realmente gosta de sexo ou apenas diz que gosta?
Você acha que sexo e amor andam juntos ou costuma separá-los?

Se for sincero(a) ao responder essas perguntas, começará a perceber algo muito importante: você carrega uma série de crenças e pré-juízos sobre esse assunto e, provavelmente, nem se lembra o porquê.

Só sabe que “a homossexualidade é errada”, que “mulheres não podem ter muitos parceiros”, que “homens precisam estar sempre dispostos”, entre tantas outras máximas que você apenas tem reproduzido ao longo da vida sem nunca ter, de fato, se questionado se é isso mesmo em que acredita.

 

Autoconhecimento e vida sexual: as crenças do passado estão no presente

Costumo dizer que todos nós somos resultado de um sistema de crenças. Nossos pais copiaram e repetiram aquilo que nossos avós acreditavam; e, da mesma forma, agora somos nós quem copiamos e repetimos aos nossos pais. E não se engane: talvez, você me diga que não tem nada a ver com seus pais, que faz exatamente o inverso do que eles faziam e que seus valores são muito diferentes… Neste caso, preciso lhe contar que a rebelião também é uma forma de cópia e repetição!

Então, seja como for, o que temos feito ao longo de muitas e muitas gerações é nos reengajar às velhas crenças e restabelecer os velhos paradigmas que, essencialmente, limitam (e muito) a nossa capacidade de viver uma vida sexual saudável.

Afinal, se eu acredito que, por ser mulher, por exemplo, devo obedecer a determinadas regras, isso faz com que corra o sério risco de renunciar às minhas verdadeiras vontades – ou seja, daquilo que, talvez, pudesse me trazer mais prazer e mais satisfação – apenas por medo. Medo do que vão falar, do que vão pensar, do que eu mesma vou dizer a meu próprio respeito.

E este não é o único medo ocasionado pela falta de Autoconhecimento na vida sexual. Porque tememos as consequências e os julgamentos relacionados ao ato sexual, deixamos de nos entregar e passamos a viver relações baseada em desconfiança. Para que ninguém possa nos machucar ou magoar, recorremos às mais diversas máscaras… Dissociamos o sexo e o amor por completo ou, então, transformamos qualquer desejo sexual em sinônimo de amor, tudo isso de forma compulsiva e automática.

O que estou querendo lhe mostrar é que seríamos todos muito mais felizes na vida sexual se abríssemos mão das regras pré-concebidas e fôssemos em busca daquilo que realmente pode nos dar mais prazer – e, em grande parte dos casos, daquilo que pode também satisfazer mais e melhor aos nossos parceiros.

Veja também:
[eBook Gratuito] – Relacionamento a Dois: como seu comportamento cria a relação que você tem!

Autoconhecimento e vida sexual: a intimidade começa em você e por você!

Quer queira, quer não, o sexo é um momento de grande conexão entre duas pessoas, afinal, é quando estamos mais próximos de um outro alguém. Isso, por si só, é um excelente motivo para fazer com que o sexo seja sempre marcado por respeito e dignidade. Mas, para que isso se faça valer, para que a sensação de vazio e de frustração dê lugar ao prazer e à satisfação, nós precisamos, em primeiro lugar, saber o que é que nós queremos daquela relação. A intimidade, então, começa de você, com você e para você.

Por isso, respire, e reflita comigo:

O que é que você vive interiormente?
Como estabelece suas relações sexuais?
Como você procura as pessoas ou como é procurado(a)?
Quais são suas crenças? O que é que lhe bloqueia e inibe?

Olhe-se. Toque-se. Perceba-se. E curta cada pedacinho que existe em você. Ninguém tem como lhe satisfazer se nem você mesmo(a) souber o que quer, o que gosta e o que lhe dá prazer.

Espero ter lhe ajudado. E, se quiser falar comigo, por favor, escreva para [email protected].

Até a próxima!

 

Temas:

CEO do Centro Hoffman, é expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e de "Perdão, A Revolução que Falta", além de coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *