Estereótipos impostos pela sociedade levam homens a terem dificuldades para lidar com suas próprias fraquezas

O machismo e o patriarcado são males que assolam as mulheres, mas os homens também são afetados de certa maneira. Se por um lado esses valores dão certos privilégios, muitas vezes o próprio homem não suporta os paradigmas e estereótipos impostos pela sociedade e acaba tendo dificuldades para lidar com suas próprias fraquezas. Uma pesquisa da Associação Americana de Psicologia aponta que 80% dos homens sofrem com a falta de habilidade para colocar emoções e sentimentos em palavras. Além disso, o número de suicídios e de mortes é muito maior entre os homens do que entre as mulheres.

Quantos de nós não ouvimos, quando crianças, a frase “homem não chora”? Homem pode chorar? Claro que sim. Essa foi só uma regra social inventada em algum momento da nossa história, da construção da humanidade. E muitas das crenças antigas nada têm a ver com a construção social contemporânea. No entanto, esse comportamento costuma ser passado de pai para filho, inconscientemente.

Precisamos criar um novo paradigma. Nós tivemos uma mudança de vida muito rápida por conta da tecnologia e nos últimos 50 anos viramos de cabeça para baixo tudo o que aprendemos. Há muito pouco tempo que passamos a aprender a nosso respeito como somos, como funcionamos, a diferença entre homens e mulheres, o que é importante para um, o que é importante para o outro.

Na linha histórica, também é importante observar que, nós mulheres, tivemos mais oportunidades para falarmos sobre nós mesmas, conversarmos com outras mulheres sobre nossos sentimentos. Como não tínhamos força para atuar no trabalho e mesmo na sociedade (nem votamos em eleições!), formávamos elos mais pessoais. O homem não, ele teve que ir à luta, tinha que disputar o dinheiro com outros homens. A mulher, embora fosse em uma posição menor, submissa, teve oportunidade de se pensar, de se olhar. O homem esteve focado em ganhar dinheiro para manter a família e só foi se fazendo profissionalmente porque tinha a obrigação de ir para o topo da montanha. E aí, quando começou a se falar em Autoconhecimento, as mulheres estavam mais à frente deles. Agora que estamos dividindo espaço profissional, eles estão começando a reivindicar mais o espaço emocional.

Quando eu penso que os homens estão se revendo e querendo essas mudanças, que estão em crise, creio que isso dará início a um processo maravilhoso. Mas isso leva um tempo. Certamente veremos mais homens conquistando mais espaço dentro do lar e com a família. Serão melhores pais, companheiros, serão melhores dentro de casa e também fora.

E chorar não faz mal para ninguém. Além de ajudar a colocar a raiva e o estresse para fora, faz o olho brilhar.

Temas: , ,

CEO do Centro Hoffman, é expert em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental, considerada uma das maiores especialistas no método Hoffman no Brasil. Palestrante, Coach, Master Practitioner em PNL, Consteladora Sistêmica, autora de "O Mapa da Felicidade" e de "Perdão, A Revolução que Falta", além de coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Coach.

Uma resposta para “Homens podem e devem chorar”

  1. Angela Silva disse:

    Perfeito os artgios, estao de parabéns com o conteudo de vocês meus parabéns!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *